Entrevista: Márcia Betschart

Padrão

Eu esperei. Eu esperaria o tempo que fosse preciso, mas tinha que abir o link ‘Entrevistas’ com ela: Márcia Betschart. Sou um bebê quando se trata de pintura e artesanato. Comecei tem pouco mais de um ano e ela foi uma das minhas referências, juntamente com Ana Maria Guimarães, Mauro Martins, Augusto Aguirras, Iára Capraro, entre outros. Não a conheço pessoalmente, mas adoro a simpatia que ela emana e seu amor pelos trabalhos manuais.  

Abaixo vocês conferem as respostas dessa paulista nascida em Jundiaí, que um dia foi bancária, mas tomou a sábia decisão de trocar a calculadora por pincéis! 

IMG_0069

Mais uma linda pintura bauer sendo criada.

1 – Antes de começar a fazer artesanato qual era a sua atividade? Quando começou a transição para este mundo das cores? E em que momento você se viu definitivamente vivendo de artesanato?

1-Antes de trabalhar com artes, fui bancária durante 10 anos. Terminei a faculdade de Ciências Contábeis, mas continuei trabalhando em banco.
2-Quando minha filha nasceu, coloquei na ponta do lápis o que recebia e se compensava continuar sendo bancária sem horário para sair no final do dia. Resolvi que a melhor opção seria me dedicar à educação dela e cuidar melhor da família.
3-Mas quem se acostuma com a independência financeira, fica complicado pedir dinheiro para o marido. Na época estavam no auge as “cestas de café da manhã”. Fiquei neste segmento durante uns 5 anos, sempre com a ajuda de meus pais.
4-Como desde criança fazia aulas de pintura, primeiramente de tecido, depois cerâmica e tela, resolvi fazer o que realmente amava: pintar, sem nunca deixar de lado meu maior tesouro, minha pequena Marina. Meu pai cortava as peças em mdf e montava, eu pintava e vendia. Ajudei muito nas despesas da casa com as minhas artes.

2 – Perguntei do começo para você. Dentro desse processo, como você desenvolveu seus primeiros trabalhos não tendo ainda um ateliê? Pintava na cozinha, na varanda, onde pudesse? Quanto tempo durou até ter seu próprio espaço?

Fazia minhas artes no terceiro quarto da casa, onde montei um pequeno ateliê. Depois fui para uma casa maior, onde tinha um porão imenso, aí foi ótimo. Além do espaço para produzir, tinha espaço para as aulas. Agora tenho um ateliê, que é onde meus avós maternos moravam. Minha família me incentivou muito, e é claro que meus pais foram fundamentais nesta conquista.

3 – Quais são suas referências no artesanato, seus mestres e mestras e pessoas que admira?

Admiro muito a Ana Maria Guimarães, que além de pintar divinamente bem é uma pessoa maravilhosa. Gosto também da americana Donna Drewberry.

4 – Sei que você é especialista em pintura em madeira, mas é apaixonada por outros suportes? Faz pintura em tela também?

Também pinto telas, tecidos… um pouco de tudo. Eu gosto de tudo que é relacionado a tintas e pincéis.

As belas peças no ateliê da artesã!

As belas peças no ateliê da artesã!

5 – Uma especialidade sua é a pintura bauernmalerei, ou simplesmente bauer. Quando entrou em contato com esta técnica e porque ela chamou tanto a sua atenção? Foi paixão à primeira vista?

Bem, meu pai é suíço e acho que está um pouco “no sangue” esta paixão pelo bauer. Conheci a técnica pela TV e realmente me encantei. Não sei explicar, parecia que aquela pintura já fazia parte de mim e depois pesquisei muito sobre isso. Cada vez gosto mais.

6 – Você é estudiosa, Marcinha? Procura técnicas diferentes, materiais novos, pratica todos os dias? No estágio no qual você se encontra é possível aprender coisas novas diariamente?

E como aprendo!!! Acredito que todos os dias podemos acrescentar algo mais, um produto novo, alguma nova técnica. Tem muita coisa que quero aprender, mas o tempo é um pouco curto, porém não desisto. Além disso, preciso sempre apresentar algo novo e bonito. Afinal, ministro aulas há 13 anos e tenho alunas comigo desde então.

7 – Você é uma colecionadora também? Por onde passa, seja no Brasil ou fora do país, observa o artesanato local, leva uma peça?

Com certeza eu amo visitar feiras, galerias por onde eu vou, é uma necessidade minha (risos). Eu tenho uma coleção de pratos de paredes pintados a mão que trago das viagens que faço.

8 – Você gosta de música, cinema, literatura e outras formas de arte, como escultura? Quais são suas artes prediletas? De alguma forma elas inspiram seu trabalho? Você já produziu uma peça a partir de ideias sugeridas por outras formas de expressão artística?

Todo tipo de arte é bem-vinda…acho que ela completa algum tipo de vazio que a vida pode vir a nos trazer. Funciona como uma terapia, enquanto estamos em contato com a arte tudo fica mais sereno e feliz. A minha arte preferida é a pintura, sem dúvida, é um colírio para os olhos!!!!

Quando participo das edições da revista Faça Fácil, geralmente temos uma fonte inspiradora, uma delas foi o desfile de moda do São Paulo Fashion Week, onde as modelos usavam listas douradas nas roupas pretas, a partir desta ideia fiz dois painéis de parede. Em outra edição as modelos usavam estampa safári e confeccionei uma fruteira com o tema.

9 – Você tem algum objeto de estimação, como um pincel, uma espátula, que você guarda com amor? Tem algum ritual antes de começar a produzir, algo que lhe estimule, que lhe prepare para o dia?

Procuro manter sempre meu alto astral, principalmente durante as aulas, acho isso fundamental. Antes de começar a pintar preciso arrumar toda a bagunça, senão não consigo me concentrar direito.

Tenho um pincel que não jogo fora de jeito nenhum, meu primeiro pincel redondo que eu pintava bauer.

10 – Quando penso em artesanato, quando faço uma peça, sou levado para um mundo do aconchego, das conversas em família, do cuidado, da simplicidade. Para onde o artesanato te leva, quais sentimentos são despertados em você? 

Me traz uma paz imensa, uma sensação de felicidade e de realização. Amo meu trabalho, adoro o que faço, não me vejo trabalhando em outra coisa.

11 – Para terminar quero saber se existe a possibilidade de Salvador receber sua visita e suas aulas. 

Adoraria conhecer Salvador, sempre tive vontade, e seria um prazer ir como turista e professora também!!!!!

 

Imagens: arquivo pessoal de Márcia Betschart.

Anúncios

Sobre Sandro Caldas Pina

Meu nome é Alessandro Caldas Pina, assino Sandro Caldas Pina, mas podem me chamar de Sandro. Sou jornalista, de Salvador, e descobri em dezembro de 2011 que podia pintar e fazer artesanato. Fiz minha primeira exposição em agosto de 2012 e pouco tempo depois produzi minha primeira caixa em mdf. Concluí que, independente do que eu faça na vida, a pintura e o artesanato são o que realmente me fazem feliz. Este site foi criado para falar de pintura e artesanato, além de assuntos relacionados, como decoração e design, por exemplo. Vai conter dicas, passo a passo, endereços de lojas (de Salvador principalmente) especializadas, artigos, indicações de blogs e bricolagens em geral. Ou seja, um espaço que gira em torno desse universo tão pessoal que chamamos LAR e que tem a nossa cara. Claro, como qualquer pessoa que precisa ganhar a vida, no Ateliê Caldas Pina você vai encontrar trabalhos meus que poderão ser comprados. Você entra em contato comigo via e-mail, pede e marcamos a entrega. Caso você seja de outra cidade, estado ou mesmo de outro país também poderá pedir o seu, claro. A entrega será feita via Correios. Você pode pedir um produto disponível na Galeria ou mesmo encomendar algo pessoal, um trabalho feito especialmente para você, seja um quadro ou um trabalho em mdf. As fotos de todos os trabalhos estão na Galeria, mas os disponíveis para a compra imediata estão no link Produtos. Quero dizer a todos que não sou designer, decorador, arquiteto, nem nada disso. Sou apenas alguém que ama esse universo, além de estar no início desse mundo maravilhoso das artes plásticas e do artesanato. Tenho muito a aprender, sem dúvida! Preciso da ajuda de todos para que o site cresça em conteúdo e qualidade. Beijos e abraços em todos!!!

»

  1. Me sinto mais honrada ainda em saber que inaugurei o link ‘entrevistas’. Te agradeço Sandro, pelo carinho e reconhecimento de meu trabalho, fiquei imensamente feliz em ser convidada. Muito obrigada! Que Deus te ilumine sempre!!!

    • A beleza precisa chegar a todas as pessoas, Marcinha! Eu só fiz o correto: divulgar seu lindo trabalho para que muito mais pessoas conheçam. Quem não é do meio muitas vezes desconhece artistas como você, embora comprem esse tipo de trabalho para decorar suas casas, etc. De repente você começa a receber encomendas de Salvador. Já pensou? Que Deus também te ilumine sempre!!! Beijos!

  2. Que bacana essa entrevista, sou fã da Márcia apesar de não pintar nadinha, mas eu sei que ainda vou aprender…rsrsrs..e espero que seja com ela. Amei o site parabéns por escolher a Márcia para estrear sua coluna de entrevistas. E parabéns para você pelos trabalhos lindos…boa sorte !

    • Obrigado, Jô! Depois que você conhece as peças de Marcinha, fica muito difícil não se tornar fã. Não somente pelo trabalho dela, mas pela pessoa, né? Obrigado por gostar do site e dos meus trabalhos! Fico muito feliz! E, sim, claro que você vai conseguir pintar um dia! Beijos!!!

  3. Tenho privilegio de ser aluna da Marcia Betschart. Ela alem de talentosa sempre esta disposta a nos ensinar novas tecnicas, Sempre coloca dentro de nos alunas a]certeza que somos capazes. Ela e um luxo!!!!

  4. Querido amigo! Acabei de ler os comentários sobre a entrevista!! Fiquei emocionada ! Nem sei como agradecer ao carinho de todos que escreveram!! Lógico que não me canso de te agradecer pela força!
    Muito sucesso pra vc !!! beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s