Arquivo mensal: junho 2013

Design + Artesanato – O caminho brasileiro

Padrão

Resolvi criar uma nova categoria para o site, já que trata-se de um livro que tem tudo a ver com o universo do Ateliê Caldas Pina: artesanato e design. Sempre que eu ler um livro cujo tema tenha a ver com a proposta deste site, farei uma resenha. Este mesmo texto estará em meu outro espaço, o Vinil Digital (clique aqui). Quem quiser conhecê-lo, ficarei muito feliz.

Então, vamos lá!

design_artesanato_capa_verniz_baixa-1

Estava eu na Livraria Cultura, que ultimamente é quase a extensão de minha sala, lendo um livro na seção de Artes, aí meu olho bateu neste ‘Design + Artesanato – O caminho brasileiro’, de Adélia Borges. Pronto. Peguei o livro, dei um rápida passada por suas páginas e texto e me apaixonei. Como o livro custa R$ 100,00, tinha que ser lido ali mesmo. Durante três dias bati ponto na Cultura.

O livro de Adélia propõe uma reflexão sobre o união entre o artesanato e o design, sugerindo que as duas partes podem contribuir para a evolução mútua. Em um país que valoriza muito mais o intelecto do que o fazer manual, foi muito importante conhecer as histórias desse livro e a variedade do artesanato produzido no país.

A definição de artesanato que norteia a obra é aquele tradicional, feito com matéria-prima natural, própria da região, retirada da natureza e que traduz os costumes e saberes da localidade. O artesanato praticado em países como Estados Unidos, por exemplo, está relacionado com um saber mais formal, até acadêmico, e destinado a camadas com maior poder aquisitivo, adquiri até status de arte. Bem diferente do que é artesanato para nós.

Valorização do artesanato

Um dia desses tentei fazer uma parceria com uma conceituada loja paulista, dessas que vemos em Casa Cláudia, mas obtive uma resposta que me deixou com pulgas atrás da orelha, embora o tom tenha sido amigável e gentil.  O e-mail, que obviamente era um texto pronto a ser enviado a quem propusesse parceria, disse que no momento não era possível porque a loja estava interessada em produtos “menos artesanais, mais “modernos” e “originais”. Uma visão que permeia muitos setores, mas felizmente não todo o mercado e profissionais da arquitetura e design.

Lendo o livro você descobre, para quem não sabia como eu, que no segmento de moda marcas como Ellus, Zoomp, M. Officer, entre outras, utilizam componentes artesanais em seus processos. Cada vez mais decoradores incorporam aos seus projetos objetos artesanais que são verdadeiras peças de design. Então, como não pensar que o intelecto não está envolvido na criação de um objeto desses? Abaixo, vocês podem ver uma peça que ganhou um prestigiado prêmio de design alemão e que foi confeccionada por uma artesã, claro, brasileira. A outra imagem mostra a famosa cadeira dos prestigiados irmãos Campana, que utiliza bonecas artesanais.

download

livro_adelia_borges_10

Quero terminar este texto com algumas frases retiradas do livro.

Lina Bo Bardi, grande defensora do artesanato, diz:

“…queria que o Brasil tivesse uma indústria a  partir do seu artesanato, a partir das habilidades que estão nas mãos do povo, do olhar da gente com originalidade…”

E mais:

“…o mundo do consumo como alguma coisa que tivesse ressonância em nosso coração…”

Um livro muito bonito em todos os sentidos!

 

Reciclando

Padrão

Não há como fugir do tema reciclagem quando trabalhamos com arte e artesanato. Há muito tempo a reciclagem é um tema de suma importância para um mundo que produz toneladas de lixo. Então, temos que aproveitar ao máximo os materiais disponíveis ao nosso redor. Não é uma questão ambiental apenas, mas econômica. Quem aproveita materiais, acaba tendo que comprar menos, além de ganhar dinheiro com as peças desenvolvidas.

Neste caso, eu não fiz com o intuito de vender. Peguei três caixas que estavam com peças faltando, como as tampas, e fiz um porta-caneta/retrato para a minha filha. Estava precisando, já que a caixinha que ela tinha era muito pequena. As cores foram escolhidas por ela e eu coloquei a mão na massa. Na foto do fundo, o apelido dela: Biu Biu..rsrs.

Porta-caneta Sarah Porta-caneta Sarah (fundo)

Vitória e tucano

Padrão

É, neste campeonato o time rubro-negro está na frente. Com mais estes dois porta-controle remoto, o placar está Vitória 3 X 0 Bahia. Claro, é uma brincadeira, mas quero fazer peças para o Bahia também! Então, vamos encomendar, pessoal.

Porta-controles Del e Helena

Uma técnica que tenho adorado fazer é a de pintura em tela com verniz vitral. O efeito é muito bonito. Eu já postei algumas peças com esta técnica aqui e pelo visto muitas outras surgirão! Pintei este tucano para a loja, mas nem tive tempo de trazer. Foi vendida rapidamente!

Tucano Verniz Vitral

 

Beijos e abraços!

DVDs de Márcia Betschart

Padrão

Quando você admira muito uma pessoa, de alguma forma você quer alcançá-la, mostrar a ela que você existe. Eu a vi em um programa de TV, o Arte Brasil, me apaixonei pelo seu trabalho e mandei um e-mail. Recebi uma resposta muito gentil. E mesmo sem conviver com ela, sei que é uma pessoa maravilhosa. Suas alunas falam isso e seu jeito diante das câmeras também revela muito de sua personalidade.

mb

 

O título do post já entregou que falo de Márcia Betschart, né? E o melhor é que hoje em dia troco e-mails com ela, tanto sobre artesanato quanto sobre outros assuntos. Melhor ainda, posso chamá-la de amiga. Sim, a internet ressignificou as relações e hoje podemos ter amigos que nunca vimos de perto. Claro, quero muito dar um abraço em Marcinha um dia, oras!

Mas e os ‘DVDs’ do título? Eles estão comigo, claro! rs. E minha felicidade foi tê-los recebido de presente dela. Um gesto que nunca vou me esquecer e que vou retribuir tentando fazer belas peças. Para quem gosta de artesanato é fantástico, já que Márcia ensina diversas técnicas em variadas superfícies. Tem pintura bauer em bandeja de metal, country em cabaça, gestual em tubo PVC, além da pintura de borboletas, flor de Natal, margaridas e muito mais!

Eu adorei os dois e não há como não gostar! Quero começar a fazer alguma peça com a pintura bauer, técnica alemã que me foi apresentada por ela no Arte Brasil.

Quem quiser entrar em contato com Marcinha é só ligar para (11) 4533-7684 ou (11) 9791-9510. O e-mail é marciabets@terra.com.br.