Arquivo mensal: outubro 2014

Um novo universo: biscuits

Padrão

No fim de semana que passou eu me aventurei por uma nova arte: o biscuit. Realmente é algo apaixonante. Quem lida com artesanato e com arte, com o fazer com as mãos, encontra uma infinidade de técnicas pelas quais se apaixonar. Eu já queria fazer algo com biscuit e resolvi colocar a mão na massa.

Comecei procurando videoaulas sobre o assunto e acabei encontrando um excelente canal no you tube. Confesso que fui bastante ousado e comecei logo pelo nível um pouco mais avançado, a Malévola infantil. Gostei muito do resultado, mas é claro que há falhas, talvez não perceptíveis pela foto, como algumas pequenas marcas de digitais na massa e umas pequenas rachaduras também. Também houve o fato dos chifres terem ficado muito afastados.

M

 

Definitivamente me apaixonei pelo biscuit. Também abre um novo campo de possibilidades, já que posso fazer lembrancinhas para aniversários e tantos outros eventos, além de enfeitar as peças de mdf que já faço.

Demorei um pouco para escrever esse post e nesse tempo acabei fazendo outro biscuit: um Minion, aquele personagem da animação Meu Malvado Favorito.

Minion

É isso, pessoal. O artesanato é algo fabuloso, não é? Riquíssimo em possibilidades e uma festa de felicidade e aconchego para a sua alma e para a alma de quem compra ou ganha um peça feita com amor.

Até o próximo post!

Do lixo para a parede

Padrão

A velha, mas sempre importante história da reciclagem. Quem lida com artesanato não pode deixar de olhar o lixo como uma possibilidade de criação. Desde que comecei com o artesanato, eu tenho visto vídeos e lido muitas matérias sobre as possibilidades de transformar o velho em algo novo, com até outra utilidade. Além de fazer bem ao planeta, pois diminui a quantidade de lixo, fará bem ao seu bolso e à pessoa que receberá ou comprará sua arte.

Estava vindo para o trabalho e quando cheguei na porta vi esse pedaço de madeira. Achei interessante e mostrei para a minha amiga, que havia me encomendado um cabideiro em estilo rústico. Ela adorou e eu imaginei logo a utilização da técnica da pátina peruana, que eu adoro.

A pátina peruana é muito simples de fazer e o efeito é show. Para envelhecer ainda mais eu passei a laca indiana. Talvez não fosse necessário, mas eu quis.

O resultado vocês conferem abaixo.

Cabideiro Pátina Peruana

Se gostaram do resultado, procurem vídeos no you tube. Tenho certeza que todo mundo vai gostar.

Minha primeira peça em estilo Bauer

Padrão

Olá, pessoal.

Desde que vi Márcia Betschart pintando uma bandeja em estilo bauer, no programa Arte Brasil, do Canal Rural, me interessei pela técnica. Marcinha é fera no estilo bauer e suas peças são lindas.

Mas o que é bauer? Quais os segredos dessa arte?

Bauer vem de bauernmalerei, que significa pintura campestre em alemão. A pintura bauer reflete a cultura campestre desse povo. Vemos cenas, por exemplo, de camponeses dançando, ou simplesmente flores enfeitando as peças, entre outros motivos.

Na pintura bauer os pincéis utilizados são sempre os redondos. As pinceladas são em vírgulas, o que produz um efeito visual único.

majesticRoundAMP

 

 

 

 

 

 

 

Treino é o segredo. Eu tentei algumas vezes pintar a caixinha abaixo e só fiquei satisfeito 1 ano depois! Fui fazendo outras peças, outros trabalhos, e finalmente quando resolvi tentar novamente já estava mais experiente nas pinceladas. Pintei rosas amarelas e vermelhas, tulipas e margaridas. Fiquei muito mais satisfeito com a tampa. Minhas tulipas azuis não saíram tão legais, por isso a foto não as destaca..rsrs.

E para piorar meu nervosismo, eu vou dar de presente esta peça para…Márcia Betschart!

É isso, pessoal. Minha primeira de muitas peças bauer que ainda irei fazer! Valeu muito a pena. Tentem, tenho certeza que vocês vão se apaixonar.

Procurem no you tube e no site do programa Arte Brasil vídeos de Márcia Betschart ensinando esta belíssima técnica.

Até o próximo post!

 

Caixinha Bauer

Aprendizados novos!

Padrão

Algumas coisas parecem fáceis demais até o momento em que precisamos enfrentá-las. Nossa, parece dramático demais! E não é. Afinal estamos falando de artesanato e este nunca deve ser algo sofrido, mas sempre motivo de felicidade e satisfação.

E quais foram os desafios enfrentados por mim, oras?

As primeiras duas fotos são de 20 lembrancinhas feitas para a Primeira Comunhão da filha de uma amiga. Nunca tinha feito lembrancinhas para uma ocasião como essa. Eu adorei o resultado e, graças a Deus, a minha amiga e sua filha adoraram. O desafio, por incrível que pareça, foi ter que fazer os laços nas embalagens onde as caixinhas iriam ficar. Tive que ir atrás de um tutorial no You Tube. Dar laço em fita é diferente de dar laço em um cadarço. As fitas têm texturas diferentes e exigem técnicas para ficarem bonitas. Acho que consegui.

 

 

Lembrança 1ªComunhão - IMP_2 Lembrança 1ªComunhão - IMP

 

Outra peça foi um cabideiro. O fato foi que minha amiga pediu que eu o forrasse com tecido. Forrar com tecido as peças que faço é algo normal para mim, mas forrar uma peça com tantos detalhes de corte como essa, não foi fácil. Fiz um porta-retrato forrado com guardanapo e a peça era super trabalhada no corte a laser, mas o guardanapo é mole, uma película muito mais fácil de retirar. Mas tecido, meus queridos e queridas, não foi fácil. As reentrâncias desse tipo de peça dificultam muito a tarefa de dar um bom acabamento. No final, eu posso dizer a vocês que fiquei satisfeito e minha amiga também.

 

Cabideiro Floral

 

É isso, pessoal! Minhas dificuldades podem ser fichinha para vocês, mas no mundo do artesanato aprendemos todos os dias!

 

Abraços em todos!